Exposições

Clepsidra web

9 de FEVEREIRO a 3 de JUNHO

Sala 2 | Entrada gratuita

 

No princípio o que havia para ver estava escrito na tela… Depois o que havia para dizer estava escrito na tela… Agora A. Ribeirinho pinta, com crueza, “janelas” abertas para que se leia o que está para além do que se vê.

Ribeirinho nasceu em Abragão no ano de 1961.

Horário:

De segunda a quinta-feira: 9h00 às 23h00

Sexta-feira: 9h00 às 24h00

Sábados: 10h00 às 24h00

Domingos e Feriados: 10h00 às 19h00

Dias de espetáculo: até ao final do espetáculo

 

cae rodap

Gentes do Mar

CartPremioMSilva 2018 sm

PRÉMIO MÁRIO SILVA

AAAGP - Associação da Amizade e das Artes Galego Portuguesa

3 de MAIO a 3 de JUNHO

Sala Zé Penicheiro | Entrada gratuita

 

Na quarta edição da Bienal Prémio Mário Silva, a  AAAGP - Associação da Amizade e das Artes Galego Portuguesa apresenta obras de 25 artistas, nas mais variadas técnicas e dimensões, nesta homenagem a um artista sem igual.

De realçar que esta edição conta com a presença de artistas internacionais, um sinal, sem dúvida, de que este Prémio é já um certame com relevo além fronteiras.


cae rodap

 

 

 

 Pedro Medeiros Miss Liberdade 2004

18 de MAIO a 22 de JULHO

Sala Afonso Cruz | Entrada gratuita

Pedro Medeiros nasceu em fevereiro de 1969. Entre 1993 e 1999 foi membro do Centro de Estudos de Fotografia e dos Encontros de Fotografia de Coimbra. Em 1997 ingressou na Ar.Co – Centro de Arte e Comunicação Visual e na Escola de Fotografia MauMaus, em Lisboa, prosseguindo os seus estudos em Inglaterra no London College of Printing (2000-2001).
É fotógrafo freelancer desde 1999. Expõe desde 1997, tendo realizado exposições em Portugal, Espanha, Inglaterra, Estados Unidos da América, Japão, entre outros. É autor de vários livros e monografias e está representado em várias coleções públicas e privadas.
A exposição "O Fio da Aranha" reúne uma seleção de fotografias realizadas pelo autor em projetos desenvolvidos entre 1999 e 2015. Estas obras inscrevem-se num enunciado de carácter humano, social e político.
O fio que cose o tecido destas imagens interroga o desejo, a liberdade, a pulsão de vida e de morte.
A mostra que agora é apresentada propõe um exercício de reflexão sobre alguns dos temas do percurso deste autor.

cae rodap

 

cmffpb