7º Festival Internacional de Música e Dança
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 


7º Festival Internacional de Música e Dança

Figueira da Foz

From Rock to Orff – "The Journey"

DOMINGO, 27 de JULHO, 17h00

Prosseguindo o êxito das seis edições anteriores, a Smooth Vibrations AC organiza a 7ª Edição do Festival, onde Música, Canto e Dança se encontram numa combinação única, com a qualidade de interpretação da Orquestra Nacional de Jovens (ONJ).

O Festival Internacional de Música e Dança da Figueira da Foz decorre de 20 a 27 de julho e culmina com o Concerto de Encerramento, com a apresentação do trabalho desenvolvido pelos cerca de 300 intérpretes envolvidos no projeto.

A Edição 7 alia o crescimento pedagógico à afirmação de uma característica há muito assumida pela sua Direção Artística: Symphonic Rock, dirigido pelo mentor do projeto, Cristiano Silva. Interpretações como “Hurricane”, dos Scorpions, “Palladium”, de Karl Jenkins ou “Stairway to Heaven”, dos Led Zeppelin, são alguns dos temas mais sonantes para a primeira parte de um concerto vibrante, energético e mágico.

A ONJ transfigura-se na segunda parte, onde apresenta repertório erudito, com a imponente “Carmina Burana”, de Carl Orff, acompanhada pelo Coro Sinfónico Lisboa Cantat e pelo Coro Juvenil do Conservatório de Ponta Delgada.

 

 

Symphonic Rock: Vozes: Tó Zé Santos (Perfume); Sérgio Lucas (Vencedor Ídolos 2); Guitarra: João Guilherme; Direção: Cristiano Silva

Carmina Burana: Solistas: Liliana Nogueira, Soprano; João Cipriano, Tenor; Diogo Oliveira, Barítono; Direção da ONJ: Maestro convidado Pedro Neves; Direção dos Coros: Maestro convidado Jorge Alves

 

Grande Auditório | 1h30 | M 6 anos | Entrada: 12,50 euros

 
Táxis d’ Os Nossos Dias
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail


QUINTA-FEIRA, 31 de JULHO, 22h00

Quando postos perante o desafio de transportar para o teatro o núcleo de taxistas celebrizados na telenovela “Os Nossos Dias”, os autores só tinham duas certezas: que a peça tinha que ser tão louca quanto aquele grupo de personagens e que, respeitando a identidade do produto televisivo, teria de abordar a realidade portuguesa atual. Daqui vinha uma conclusão lógica: a atual crise económica tinha de ser transformada em comédia.

É assim que a Imperial Táxis se descobre, como o país, à beira da bancarrota. Sem dinheiro para pagar ordenados, a Central vê-se obrigada a pedir um resgate a uma banqueira alemã muito rigorosa, que impõe cortes profundos na despesa, redução de salário e despedimentos. Os taxistas aguentam estoicamente e buscam soluções várias para fazer face às dificuldades, mas, quando tudo falha e o desespero aumenta, também aparecem as ideias mais radicais…

 

Autores: José Pinto Carneiro, Mário Cunha | Encenação: José Martins | Interpretação: Ana Guiomar, Anabela, Joaquim Nicolau, Miguel Costa, Rosa do Canto, Rui Melo, Sandra Faleiro | Cenografia: OXALIS – Rui Francisco | Figurinos: Rita Lameiras | Desenho de Luz: Mário Bastos | Produtor: Alexandre Hachmeister

 

Grande Auditório | | 1h10 | M 12 anos | Entrada: 10,00 e 12,50 euros

 
<< Início < Anterior 1 2 Seguinte > Final >>
Pág. 1 de 2

Newsletter